Caixas de Areia para gato - como escolher

 

Uma das queixas frequentes dos tutores de gatos são problemas de eliminação, ou seja, xixis e cocós fora do sítio.

Uma das causas para este tipo de problemas diz respeito à caixa de areia.Uma caixa não adequada pode provocar, para além de eliminação em locais inadequados, conflitos entre gatos e mesmo problemas de saúde associados a stress (cistite idiopática felina por exemplo).

 

Então o que é que é importante ter em atenção quando escolhemos uma caixa de areia para o(s) nosso(s) gato(s)?

 

1. Tamanho da caixa – quanto maior melhor, sendo o tamanho ideal cerca de 1.5 vezes o tamanho do gato (comprimento do nariz à base da cauda).

 

2. Número de caixas – idealmente devemos disponibilizar uma caixa por gato e pelo menos mais uma extra. É importante que tenham opção de escolha caso uma esteja mais suja, ou prefiram fazer xixi numa e cocó noutra, ou mesmo quando outro gato lhe impede o acesso a uma caixa.

 

3. Localização–As caixas devem estar em locais sossegados e de acesso fácil. Zonas movimentadas ou janelas para o exterior devem evitar-se. E atenção que 2 caixas lado a lado é o mesmo que ter uma só, têm de estar em locais diferentes. Também é importante que não estejam perto da comida e da água. Se a casa tem mais que um piso é importante que haja pelo menos uma caixa por piso.

 

4. Areia – Apesar de variar, os gatos preferem areia macia e fina e sem cheiro. A areia aglomerante é mais fácil de limpar. Devem evitar-se também forros das bandejas. É importante assegurar uma altura mínima de cerca de 7 cm de areia para que possam escavar e enterrar as fezes.

 

5. Tapada ou não?–Cada gato tem a sua preferência mas devemos ter em atenção que se não virmos nem cheirarmos haverá mais tendência para nos esquecermos de limpar a caixa do nosso gato.

 

6. Com porta ou não?– Mais uma vez, há gatos que gostam e outros que não. Devemos introduzir a porta gradualmente e ter a certeza que o gato não tem medo de a usar.

 

7. Limpeza – Este é um dos aspectos mais importantes que nunca deve ser descurado. Devemos remover os dejectos 2 vezes por dia e limpar completamente a caixa semanalmente. Devemos usar água morna e um bom detergente de louça (sem cheiro) para lavar a bandeja semanalmente. No máximo de 2 em 2 anos a caixa deve ser substituída por uma nova caixa.

 

Se o gato for bebé devemos ter atenção à altura do acesso porque podem não conseguir subir para a caixa. No caso de gatos idosos ou com alguma limitação motora, devemos tornar o acesso mais simples e não usar as caixas de acesso superior que impliquem saltos.

É muito importante que qualquer alteração que se faça seja gradual, ou seja, sempre que queremos introduzir uma alteração devemos deixar a opção existente e disponibilizar a nova opção e deixar que o gato escolha. Assim que passar a usar a nova opção podemos remover a anterior.

Se precisar de aconselhamento para escolher a caixa para o seu gato fale connosco. Temos vários modelos disponíveis.

 

Patrícia Ramalho
Especialista em Comportamento Animal

 

Referência:Carney, H., Sadek, T., Curtis, T., Halls, V., Heath, S., & Hutchison, P. et al. (2014). AAFP and ISFM Guidelines for Diagnosing and Solving House-Soiling Behavior in Cats. Journal Of Feline Medicine And Surgery, 16(7), 579-598. doi: 10.1177/1098612x14539092